quinta-feira, junho 23, 2011

Os teus olhos: o início do mundo...

Nota de não rodapé: Os olhos dele são expressivos. Doces. Amargos. Diabólicos e santos. A mistura de tudo que me perde...Os olhos dele, apesar dos óculos, foi o inicio de tudo o que eu temia...Além de devorar meu coração, ele enxerga pelas minhas retinas. E eu estou presa em seus olhos: sou a menina dos teus olhos. Enxergue isso, antes que seja tarde...eu parta de vez!

Se os olhos são mesmo a janela da alma, olhe para mim e só verá a ti mesmo! 

 

O olhar mais expressivo do cinema...Bette Davis. Eu olho assim para ti. Todos os dias. Copiosamente. Agora um poema para você:
Ele estava radiante, seus olhos indicavam-me um temor
Assim como o sol em dias de inverno
Porque nos dias frios há brilhos que levam ao amor
E venho aqui para vê-lo, todos os dias do meu inverno
Soubesse ele que tomo meu vinho que agora não é tão barato para sair do inferno
que é amá-lo, na forma de sua antítese tricolor

Soubesse ele que fico acordada à noite toda, observando-o dormir
Ele é pele e cara e mora em cada centímetro do meu quarto
Penso nele em todas as formas visíveis e invisíveis no ato
Soubesse ele que é minha lua insana e tenho medo dele partir
Porque ele é minha lua sem cratera, o meu pedir
Minha máquina de escrever no anonimato

Quando ele esta comigo tem a minha idade
e desconfio que todas as minhas leituras são dele
Porque o coração dispara com essas palavras na cidade
Quando escrevo todo meu amago é para ele:
e mais minha mãos, boca, a epidemia de saudade e grito são dele,
A linguagem das coisas, coração dos gozos, voz que traduz felicidade. 

3 comentários:

Anônimo disse...

Bette Davis....

Anônimo disse...

"Minha máquina de escrever no anonimato" que lindo e doloroso isso, Daninha!
Apaixonei de vez. Vc é linda e escreve docemente.
beijos do Junior
E continue e a escrever, senhorita da fita!

WiLL disse...

Seu quarto está cheio de amor, porque você é toda amor... Sua poesia é encontro da sua razão - que te faz escrever - e do seu coração - que te inspira a escrever.
bjokas