segunda-feira, abril 26, 2010

Ilusões e tédio

O telefone tocou. Ela levantou para atendê-lo, com uma vontade de permanecer na cama. Prostrada. Sem contato com o mundo externo. Mas sentia que precisa atender. Aquela coisa de intuição feminina, sexto sentido. Sentia que naquele telefonema sua vida vazia e vulgar poderia mudar. Engraçado isso, afinal sempre pensamos que nossa vida vai mudar ou fazemos promessas que isto irá acontecer. Seja em datas comemorativas: como ano novo. Final de relacionamentos. Mudança de trabalho. Mas no fundo quase nada muda, porque a essência da vida é o que somos em nosso âmago. E demoramos um bocado de tempo pra perceber isso. Mas, sempre existe aquela esperança que fica sobrevoando nosso imaginário. O olhar pra dentro de si mesmo é a única mudança concreta e real.  Greta, não percebia isso.
Ela era uma mulher difícil de descrever. Imprevisível, mas totalmente previsível, doce e agressiva, orgulhosa e totalmente humilde, segura e insegura, romântica e sensual, sensível demais para seus próprios problemas e uma fortaleza para os problemas dos outros era uma pessoa generosa e sem limites. Contava ela com 30 anos, cabelos pretos aos ombros, pele  alva demais para um pais tropical, olhos verdes, boca carnuda, estatura  pequena e um pouco acima do peso. Não era um exemplo de beleza para os padrões estéticos atuais. Mas era daquele tipo de mulher com presença. Que afastava as outras mulheres e atraia sexualmente os homens. Ela sabia que não se tratava de beleza era algo que estava alem disso, talvez a forma de olhar, de andar, de se expressar ou simplesmente um talento.  Greta é  jornalista, mas descobriu a pouco tempo que não é isso que quer ser pro resto da vida. Descobriu um equivoco em sua vida profissional. E sabe que se não mudar será infeliz profissionalmente.
Finalmente ela atendeu ao telefone.
- Alô. Respondeu com voz sonolenta.
Ninguém respondeu.
-Alô. Insistiu ela.
Novamente nada.
Caiu a linha.
Ela pensou que isso poderia ser um aviso ou algo assim. Ou talvez a mudança que estivesse batendo em sua porta. Sorriu. E nada mudou. Voltou a dormir. Dani Bueno
 TRILHA SONORA DO DIA: http://www.youtube.com/watch?v=1ucuUDOisxY&feature=player_embedded

Inspirada no blog - Leituras do Favre: http://blogdofavre.ig.com.br/

3 comentários:

Anônimo disse...

Danizinha,

Mercedes Sosa sua trilha do dia? Dani, quantos anos vc tem? Deixa pra lá.(rs)
Seu texto tá me fazendo refletir. Gostei. Parabéns!
Você escreve de uma maneira gostosa e agradável de ler. Virei seu seguidor. Rodrigo

WiLL disse...

Dani,
Sempre bom começar o dia com vc
fofuxa
bjs

Anônimo disse...

Dani,

Perfeito. Como disse seu amigo acima, tambpem adoro começar o dia contigo.
De um realismo doido, mas com sensibilidade, assim como vc fofuxa.
E o nosso café?
bjs Junior