sexta-feira, agosto 03, 2012

Paixão e Folhas


-Oi. Demorou pra chegar.
- Não iria vir confesso, mas não resisti a promessas dos seus olhos.
Ela o abraçou intensamente e chorou.
Ele enxugou as lágrimas da moça e disse que desta forma ele não conseguiria prosseguir e beijou o rosto enxugando as lagrimas da moça, como se secasse todo alagamento possível no mundo.
Ela o beijou. O beijo foi uma mistura de tudo o que é vivo: lágrimas, saliva, vento, cheiros e sensações.
-Por que você me deixou te beijar?
- Porque não resisto aos teus olhos. Porque resistir a você é viver num tédio profundo, onde o abismo é o único caminho. Ele sorriu e ela beijou o sorriso do moço como quem desenhava com giz de cera. Vermelho. E disse:
- Eu não queria ter me apaixonado, mas estou. Eu sei que você pediu para eu não me apaixonar, mas acontece que sou subversiva, rebelde e nunca sigo ordens, sempre sigo o meu coração descompassado. Ele a fitou intensamente e rebateu:
- O problema é que eu estou apaixonado também e quase não há saída. Dentro dos labirintos da minha mente tentando fugir é você que eu encontro. Mesmo tentando me perder, sumir é só em você que me encontro, como se seu beijo fosse o inicio do mundo. Disse ele com o coração na boca. Ela o olhou com desejo, puxou sua camiseta e disse:
- E quem disse que por ser lindo seria feliz? O fato é que você me tirou do tédio existencial... Teus olhos me fizeram voltar a sonhar com a possibilidade de uma vida mais medíocre. Nunca vou me arrepender de nada. Só te olhar... Habitar o mesmo espaço-tempo que seus olhos já é muito para eu achar que a vida toda valeu a pena. Quando você fala, há algo na sua voz que transfigura meu peito aqui...
Ele a abraçou e sussurrou em seu ouvido que somente em seus braços, presos em seus braços que ele conheceu a liberdade de amar.

Beijaram-se cruzando os pés em 360 rotações. Ventava e havia folhas espalhadas no chão que testemunhavam a cena. Folhas caídas, amareladas indicativas de novas cores.
E continuaram caminhando entre as folhas caídas... rumo ao infinito de ser utilizando a primeira pessoa do plural.

Fotos: Daniela Bueno ( porque agora ela retrata poesia pela sua retina)

Trilha sonora do dia ---> Coisas do Coração - Raul Seixas #TocaRaul =)
( esta canção é uma das mais românticas que já ouvi na vida)

2 comentários:

Anônimo disse...

O que dizer, não há palavras. Todas sumiram...diante tanta paixão.

WiLL disse...

"Nunca vou me arrepender de nada. Só te olhar... Habitar o mesmo espaço-tempo que seus olhos já é muito para eu achar que a vida toda valeu a pena. Quando você fala, há algo na sua voz que transfigura meu peito aqui..."
A paixão nos transfigura mesmo. Ela nos faz sermos outra pessoa. Você fica com um sorriso mais alegre. E eu choro aqui ao compartilhar da sua paixão. Bjos