segunda-feira, agosto 22, 2011

Dicas para que te quero? E toda a culpa do mundo...

 Negócio é o seguinte... Tenho certa intolerância para revistas que se comportam como manuais; tipo essas que dão dicas de relacionamento, dicas para você se tornar uma Femme Fatale, ou dicas disso ou daquilo. Enfim, acho isso meio vazio. Porque tudo depende de um contexto socioeconômico, do momento, da brisa e do biopsico ( que quase nunca é levado em consideração). Porra! Somos uma espécie como qualquer outra. E somos feitos a base de hormônios e sensações. Limitar a vida em dicas é tentar globalizar a alma humana.

Aqui neste espaço já tentei de maneira escrachada  fazer uma manualsobre homens ou tipos destes. Aqui. Mas era apenas uma brincadeira e uma forma de me vingar, pois as dicas são mais para mulheres. E confesso que isso me irrita. Isso de certa maneira indica que os meios de comunicação acreditam que vendem mais dicas para mulheres por algum motivo e pensar nisto causa-me nauseas. #fato
  
Por falar em dicas... Não quero relatar aqui dicas de como me tornar mais gostosa, bonita, sexy ou como segurar meu homem. Quero falar de algo que me perturbou... Acabei de ler esta reportagem no site do G1>>>>> 'Hoje, não erro', diz corretora que testa domésticas antes de contratar em MS – leia a matéria na integra aqui - . 

Poxa! Triste ver mulheres falando da forma pedante como esta senhora, a qual diz que não erra mais nas contratações das empregadas domesticas relatou em sua experiência de empreendedora do lar. Triste de ver como ela faz essas contratações, testando as mulheres... Como se empregadas domesticas não fossem pessoas. #lamentavel  Cadê o Ministério do Trabalho nestas horas? Ahhhh! É legal fazer isso com alguém?

Trabalho doméstico é algo chato de fazer. Penso que ninguém gosta de fazer de verdade. Ou melhor, reestruturando o pensamento...Ninguém sonha em ser empregada doméstica para sempre. Claro que há pessoas que são organizadas e gostam de cuidar da casa. Enfim... Mas não é sonho. O fato é que, infelizmente, no sistema capitalista precisa-se de alguém para se explorar e o trabalho doméstico é perfeito para isso.

Como não sou hipócrita também utilizo da ajuda de pessoas em alguns trabalhos domésticos. Na verdade, na sociedade de hoje, sempre precisamos de ajuda e por isso o contrato do trabalho doméstico. Talvez essa seja a desculpa do sistema para a exploração do outro. Não sei... E acabamos tendo consciência disso, mas como não  exterminamos a situação, visto que a outra pessoa depende da miséria que pagamos para sobreviver,  compactuamos, de certa maneira, com a exploração do outro, também pelo fato de precisarmos de ajuda ( desculpa individualista). #FacadeDoisGumes #RodaViciada Ou seja, a vitima do sistema são elas e não nós. Quem deveria ser testado somos nós, um bando de imbecis, que se consideram superior porque coordenam outras em trabalhos domésticos. Como resolver isso? Empregar ou não? Compactuar ou não?  Empregada doméstica como lixeiro deveriam ser os profissionais mais bem remunerados. Não é fácil limpar a sujeira do outro e viver catando sujeira, com tantas flores para catar...e sem chance de catar a felicidade. :(

Na verdade, não trato pessoas como objetos, pelo menos tento não ser assim e assumo minhas falhas e sei aonde tenho que melhorar como ser humano. Ah! E também não me considero melhor que ninguém. Só que me irritei com a matéria, porque a senhora empreendedora do lar da dicas toscas para se conseguir um boa emprega doméstica. É algo tão depreciador que me dilacera, até por fazer parte de uma classe média babaca como a nossa.  Eu sofri muito, mas hoje eu não erro em uma contratação”, afirma a corretora ao G1. Palavras da própria. Isso é sofrer? Bem...na ótica e no mundo individualista deve ser. Até consigo respeitar, mas não engolir...

O problema é que a casa grande sempre precisará de escravos. E por mais que as coisas mudem, se o sistema não mudar, sempre haverá pessoas exploradas. Não sei para aonde caminhamos, mas sei que quero virar à esquerda, plantar girassóis e margaridas... quiça algo mude, inclusive em mim...Porque tod@s somos culpados de tudo!

3 comentários:

Anônimo disse...

Arrasou Daniela Paula!!! Fazia tempo q não passava por aqui afff que amiga mas relaxada kkkkk
Eu Rn tenho birra das revistas q fazem manuais como se a coisa mais importante da vida de uma mulher fosse ter um homem affff q horror
Beijos da Kelly aparecida

WiLL disse...

Caríssima:
Belo texto, embora sobre algo triste.Exploração humana. Não me canso de dizer pra vc q vivemos num tempo de legalização da escravidão: sub-empregos, baixos salários, trabalho além do horário sem recebimento de hora extra, atraso no salário. Enfim, uma série de maus tratos que sofremos diariamente, sem contar com os transportes coletivos superlotados, como se fôssemos transportados em navios negreiros (sim, eu sei que não há comparação entre o sofrimento vivido pelos negros escravizados e nossos tempos, mas quero mostrar como ainda somos enganados em nossas liberdades, todos nós).
Qto às dicas, embora dê título ao seu texto, acabou sendo secundário. Mas concordo contigo, esse lance de viver de dicas pra tudo é coisa de um sistema alienante que quer nos prender a um determinado modo de viver/pensar: 'vc viu na reportagem as dicas de se contratar uma empregada/passar roupa/ fazer as malas pra viajar/ combinar as peças do guarda-roupa?'
Se as dicas são tão importantes, que tal dicas para ser uma pessoa mais bem informada e com menos dicas?
bjos e te adoro.

Tiago leal disse...

Amiga, que bom poder passar por aqui e ler um texto delicioso como este. Um dia as patroas visitarão a casa das suas empregadas e entenderão pq elas lavam a louça com a bica aberta, pq desperdiçam o detergente e porque lavam pano de chão junto com roupa suja e panos de prato.

Enquanto isso não ocorrer, continuarão os desentendimentos. Pq é mais importante ouvir que calar.