quinta-feira, novembro 04, 2010

Decisões e releituras

Decidi reler Crime e Castigo do Dostoievski. Decisão difícil, mas necessária. Digo isso porque esse livro marcou uma fase bem melancólica da minha vida. Grifei uma frase do livro, no capitulo 2 que não me sai da cabeça. “A coisa mais triste na vida é uma oportunidade perdida.” Acertei o alvo. O Alvo no caso em questão é meu coração. Acho que a máxima tem muito a ver comigo. Também concordo que não devemos perder uma oportunidade. O que não entendo é se isso significa que devemos sempre tentar, mesmo quando sabemos que não temos chance nenhuma, e isso configuraria uma oportunidade perdida, ou se podemos deixar para trás uma oportunidade reconhecidamente perdida. Na verdade, o que eu quero saber é de que se trata uma “oportunidade”. Para tentar apaziguar meu core, procurei ajuda no Aurélio, ele dizia que é um momento favorável/propicio. Então quer dizer que devemos arriscar sempre? Será? Mas, qual a diferença da escolha? Escolher é arcar com as conseqüências e se tudo der errado juntar os cacos? Escolher... Nunca gostei dessa ação. Ela sempre me confundiu/TORTUROU. Sempre.
Renoir



Hoje, eu tenho uma escolha ou uma oportunidade? Eu não sei distinguir mais... Acho que às vezes minha melancolia e tristeza vem disso...Tudo parece voltar ao mesmo ponto. E não mudar... Tenho medo das minhas escolhas. Do conformismo. Eu sou uma pessoa insegura e confusa que precisa de um colo e de apoio. É difícil admitir isso. Mas...



Deux jeunes filles (Antoine Wiertz)
TRILHA SONORA DO DIA - Tchaikovsky Romeo and Juliet

4 comentários:

Anônimo disse...

L.I.N.D.D.A! VC É LINDA!

WiLL disse...

Dani, acredito que a escolha, ela mesma, seja a oportunidade q vc se dá. Como há mais de um caminho - por isso uma escolha - há consequências de um lado e de outro. Só escolhendo pra saber no que vai dar.
Talvez o que mais deva ser pensado agora seja: vou perder a oportunidade de criar novas oportunidades, ou vou escolher permanecer neste estado melancólico, triste, de ansiedade, de sofrimento diário, com aperto no coração...?!
Ou: estou num momento difícil, mas sei (será que sabe mesmo?) que vai passar, que o meu sofrimento hoje será alegria amanhã.
Há uma escolha a ser feita.
Ou você pode fingir que nada acontece e deixar a vida ir passando...Te amo! Will

Aaddrriiaannoo disse...

Ter que sempre tentar uma oportunidade cansa. Fazemos isso todos os dias involuntáriamente.
Tentamos acordar, tentamos pegar um ônibus lotado, tentamos ir trabalhar, tentamos nos divertir, tentamos amar... estamos o tempo todo tentando e a vida se torna uma miscelânia de tentativas e oportunidades perdidas e conquistadas. Viver é uma oportunidade!

Juliana disse...

Eu concordo com o Will em alguns pontos..
Acho que as oportunidades nos são dadas para que, diante delas, possamos escolher a favor de ou contra um caminho... em alguns casos, não sei se seria possível, um meio termo até. Mas, por outro lado, eu não acho que toda oportunidade seja válida ou que seja, de fato, uma oportunidade.. se formos pelo o quê diz o dicionário, se a oportunidade é um momento favorável ou propício a algo não se pode considerar uma oportunidade real, a meu ver, algo que está fadado previamente a não dar certo né? Acho que isso seria mais uma ilusão ou um anseio de que fosse possível do que uma possibilidade de fato e, portanto, do que uma oportunidade real.
Deu pra entender?
Mas, a parte todo esse raciocínio, se tem algo que vc acredite que deva seguir, crie coragem e siga, nem que para isso vc precise, mais uma vez, enfrentar consequências desagradáveis. Acho que pior do que errar e sofrer é se apartar da vida por medo do sofrimento que todas as nossas decisões, cedo ou tarde, podem gerar.