sexta-feira, agosto 13, 2010

Um pouco de pornografia...ou...


A cada instante que penso em vc; sinto seu cheiro, seu sorriso colado a minha boca, seus olhos tentando ser minha retina, seu corpo tentando entrar em sincronia com o meu e sua voz serenizada.

Talvez(eu use muito o advérbio “talvez” porque sou uma mulher cheia de dúvidas, nada exata ou pragmática e adoro verbos no subjuntivo, eles são tão humanos.), que tua vontade hoje seja a minha, aquela de estar em mim e perder-se num momento assim...A procura de uma certa sincronia, a qual nem sabemos se existe. A palavra sincronia hoje se tornou uma obsessão, principalmente, depois de um email bem dialético o qual recebi e que me encheu de alegrias. E de certa forma, me trouxe esperança de achar minha coragem perdida em mim mesma.

Hoje acordei meio pornográfica, acho q a gripe faz isso comigo. Talvez porque me remeta as heroínas românticas( século 18 e 19). Apesar de considerá-las chatas, gosto da ideia de morrer de amor. Do desfalecimento, do corpo, do coração em sincronia parando. Queria estudar mais matemática p entender de simetria e paralelas, quem sabe assim você entenderia todas as minhas declarações.

O que eu queria hoje era sentir o gosto do teu corpo no meu e da tua língua a me conhecer, sempre, até amanhecer. Gosto de imaginar minhas mãos procurando vc e minha boca quente sempre a te sugar. Como num ato de devoção. No fundo me agrada a ideia de ser devota à alguém. Neste momento só o silêncio conforta, porque talvez seja sutil como um acorde de Bach.

Também sinto tua vontade sim...aquela de me amar num pedido e em mim ficar escondido: entre nossas línguas você se reconhece. O desejo latente está em sua mente? Queria agora que você me jogasse na cama e me cobrisse de cheiros e que perdesse teu corpo nos meus travesseiros. Num ato insano, diz que me quer. Esquece tudo. E diz que quer exatamente como eu sou: viajada, insegura, marxista, ansiosa, compulsiva, bem-humorada, com um coração cheio de colesterol e com uma fita de laço na cabeça. Diz também que este fogo que te deixa assim fora de si, não vais esquecer, nem depois do silêncio. Só quero me perder em ti. Vc tem coragem para me amar? Tem coragem? Eu sou o seu revés?

Talvez, eu esteja errada de tentar traduzir tanto desejo, mesmo não querendo falar é mais forte que eu. Me olhas sorrindo agora...Aquele sorriso sem graça que me desmancha. Diz para mim o que quer q eu faço, eu canto, eu grito, eu recito, eu amo e também sonho calado por ti. Diz agora que seremos nós dois e a chuva lá fora, para que eu possa, em sincronia, dividir contigo meu guarda-chuva.


Ps: Não quero sinônimos para sincronia. E nem para mim...

Ps2: Ele ainda não existe ou existe? Eis a questão dialética. Rs

Nota: Sem pornografia não haveria amor que se suportasse.

Trilha sonora do dia – Só poderia ser ele: Serge Gainsbourg - Je T'aime... Moi Non Plus - Queria cantar essa canção p vc! Isso sim é uma boa forma de amar e uma puta declaração de amor. :)

3 comentários:

Anônimo disse...

Senhorita Dani com fita no cabelo,

Seu texto me deixou com vontade amar. Menina vc fotografou sentimentos, como isso é possível?
E realmente sem pornografia não haveria amor q se suportasse...Com ela já é dificil.
Como diz vc, eita!
Vc é maravilhosa e eu te adoro cada dia mais.
beijos do Júnior seu leitor número 1

WiLL disse...

Daniquete, menina furacão:
Vou comentar pelo fim "Sem pornografia não haveria amor que se suportasse" porque estou sofrendo por causa disso, e vc sabe...
De fato, o erotismo é imprescindível numa relação de amor. O q diferencia um namoro da amizade, principalmente (entre outras coisas), é o sexo que mantemos com quem amamos. Não beijo na boca nem transo com amig@s.
Na vida, pornografia não pode faltar entre os amantes.
Te adoro, Dani.
bjokas

Moabe disse...

Me identifiquei com esse texto.....como é bom amar, seja como for o amor....o sentir é tudo...por isso, amo o amor erótico, porografico...isto é amor.