segunda-feira, maio 24, 2010

Sem forças para tirar o lençol...

Magritte

Hoje estou realmente cansada. Final de semana corrido, muito trabalho e também muita diversão. Mas, exausta. Acabei de chegar da academia. Tive animo para malhar. Q piada! rs Mesmo me arrastando fui à academia, talvez porque mais q qualquer coisa eu precisasse liberar um pouco de endorfina. E exercícios físicos, segundo médico, fisioterapeutas e educadores físicos servem p isso. rs Pelo menos é o que ouço. 

Necessidade de liberar endorfina para tentar me sentir menos ansiosa. Esta semana será um pouco assim...Tantas perspectivas e quase nenhuma expectativa. Até escrever hoje está cansativo. Ando tão ansiosa q sinto q meu coração pode parar a qualquer momento. Hoje pensei em analisar este quadro( acima) de Magritte, mas pra dizer a verdade olhar p ele me lembra o momento atual que vivo. Tão perto e tão distante de tudo. E isso não somente no amor, arrastado-se para vida toda. Talvez a necessidade de um toque real a vida. Sem panos, máscaras, um toque pele a pele. Mas, as vezes o beijo por debaixo do lençol pode proteger-nos de nós mesmos. E a vida em si dá medo. Por que o beijo nunca se concretiza? O beijo aqui pode dizer tantas coisas...Por que eu mesma não assumo certas posturas e atitudes as quais me fariam me sentir melhor, mas acabo presa aos lençóis e insistindo nos velhos hábitos, na certeza incerta. Por que não há nada mais incerto do que a palavra certeza. Ai...Difícil entender isso, mais difícil ainda tentar explicar. Minha retórica talvez seja pobre para isso, porque há coisas que só existem para serem sentidas. Enfim...Vivemos buscando certezas, mas nada é certo realmente, e o mais difícil é enxergar isso. Queremos o controle da vida, mas no fundo não admitimos que a vida não tem controle. E acomodar-se nos velhos sentimentos se torna fácil, pois tirar o lençol pode doer muito. E senão gostarmos do que virmos? E senão toleramos a dor do espelho? Nossa, isso tá me lembrando o mito da caverna de Platão. Sempre presos as sombras e com uma dificuldade absurda em nos livrarmos delas. Será sempre assim? Por isso, será mais fácil o beijo entre os lencois? Sair de da caverna mesmo que estejamos presos, acorrentados a conceitos e a sentimentos medíocres pode parecer a melhor opção, quando temos medo da realidade. Muitas vezes, sinto-me assim diante da vida. Como tirar esse lençol?

Acho que irei fazer um chá de hortelã. O hortelã tem um poder curativo em mim. Acho q ele deve liberar endorfina também. hahaha Deixa um especialista ler isso. rs Mas, o fato é q ele libera algo em mim. Não chega a me trasnfigurar, mas me liberta. O cheiro e o sabor de hortelã me lembram você também . Engraçado tudo o que você me oferece tem sabor de hortelã. Só sei que não estou conseguindo raciocinar direito e a culpa é do seu bafo de hortelã e do seu sorriso. Dos seus dentes. De tudo que entra pela sua boca. Qual a marca do teu creme dental? Queria usa-la diariamente...quem sabe com o gosto de hortelã na boca, o lençol se renderia e cairia. Quem sabe...Tudo tão indefinido. 

Acho que junto com o hortelã queria ouvir os seus passos fortes pela minha casa, confesso isto me traria uma paz inexplicável, ao ouvir seus passos firmes e ver seu sorriso branco com gosto de hortelã todas as manhãs. Porque são nas manhãs que nos redescobrimos vivos. São nelas também que tomamos conta da nossa existência, principalmente ao acordar. Afinal o sono é uma espécie de morte. Engraçado, isso me lembra o medo que sempre tive de não acordar. Todavia, quando penso em você no  teu sorriso tudo se torna menos pesado. Acho que em algum momento já te disse isso...Talvez, porque você não tenha medo de me encarar sem o lençol, talvez...Ou não tem forças para me amar?Talvez...

Vou continuar com o chá e talvez vá dormir, pois hoje meu corpo está cansado. E pensando que tudo o que você me oferece tem gosto deste chá.

PS: A repetição da palavra "talvez"é proposital...rs  Para liberar endorfina tenho algumas opções: 1. exercícios físicos( incluindo sexo),
2. Psicotropicos;
3. Chá de hortelã ( incluindo você).

Acho que hoje ficarei com a terceira opção. rs

TRILHA SONORA DO DIA - SENTIMENTAL - LOS HERMANOS http://www.youtube.com/watch?v=axDy20SY6Yc ( só uma consideração: A trilha sonora do dia é uma montagem com o filme Amelie Poulain..Talvez, todos os dias me sinto como ela...Vale muito ver o vído.)


2 comentários:

Anônimo disse...

Senhorita Daniela,

Não sei se a senhorita se lembra, mas qdo a conheci a primeira pergunta q fiz foi se a menina era formada em TI, lembra?
Pelo seu conhecimento e entusiasmo com o Linux. Engraçado, mas é dificil mulher se interessar por isso, mas vc surpreendentemente usava o programa e o divulgava.
Vi no seu orkut a foto do Lula e da Dilma com o Marcelo Branco - um dos maiores ativistas do Linux no Brasil. Achei simpática a divulgação.
E nós Tecnologos da Informação não podemos deixar o projeto parar...E um Serra significaria o fim deste projeto. Devido a outros interesses, os quais conhecemos bem. Meu voto é da Dilma.
Qto ao texto do Blog, sempre é um prazer le-la. Vc é a mulher mais interessante que conheci na vida, só p lembra-la. Adoro conversar contigo.
bjos
Dado

WiLL disse...

Dani,
O lençol aí é bem o que você disse: tão perto, mas tão longe. Dividir a mesma cama sem sentir o toque da pele. É ter esse amor ao seu alcance mas não poder vivê-lo.
Você precisa se livrar desse lençol para tocar o lábio da felicidade.
bjokas