sábado, maio 01, 2010

A Rodoviária



O ponteiro marcava 9h naquele relógio monstruoso, pendurado no teto da rodoviária e o ônibus nem sequer apontava, um atraso de uma hora era para deixar qualquer um com o coração na boca, mãos suando e com o peito angustiado. Quando as horas não passam a ansiedade nos devora, como um bicho que engole sua presa sem piedade. O relógio parecia trabalhar contra o coração, seu tic-tac era descompassado e quase causava um enfarto do miocárdio. O ônibus apontou, naquele momento sentia-se como adolescente que descobrira o amor. O coração disparou e sufocou o tic-tac do relógio. Ela levantou-se, arrumou o vestido florido, comprido, prendeu os cabelos e se perguntou se ele a acharia bonita. Correu para perto das escadas rolantes. O ônibus parou e o avistou de longe, meio perdido entre tantas pessoas na plataforma de desembarque. Cruzou os dedos para que ele a percebesse sem precisar chamá-lo e os olhares se cruzaram como uma valsa, e naquele momento se virão bailando e só havia os dois: o tempo parou. Ele subiu as escadas e disse: - Nossa! Tava sufocado. O ônibus não chegava nunca. - E eu com medo. Medo de nunca mais ver seus olhos. Que bom! - O que? - Você aqui. Tão lindo. Tão terno. Tão perto de mim. Você é minha metade mais doce. - Você me diz cada coisa... Ai! Se não fosse a vida, os compromissos fugiria contigo. Eu te amo tanto. - Eu também te amo. Mas, só o amor não basta, não é? - Deveria bastar. Mas... Você irá embora mesmo? - Decidi. Acho melhor para nós. Você tem sua mulher, seus filhos, sua vida... E eu preciso traçar a minha. E logo você me esquecerá. - Não. Isso nunca. - Eu também não. E ela se jogou em seus braços. E o beijou loucamente, intensamente. Naquele beijo toda a lembrança daquele amor veio à tona. Os passeios no parque, no cinema, as tardes de sexo a sol a pino. E toda a intensidade que unem os amantes. - Não precisa ir embora. - Preciso sim, meu amor! -Adeus! - Adeus, meu querido! E o beijou novamente. As mãos estavam coladas, sangrando, elas se desgrudaram. - Me acompanhe até o ônibus? - Claro. O meu coração está partido. - Não fale assim. Assim você dificulta tudo. Adeus! Chegando a plataforma de embarque do ônibus, ela se despediu com um beijo e embarcou. Ele chorou, sentia que estava deixando passar sua felicidade. O ronco do motor foi implacável e os separou. Ele foi embora com a única certeza que aquela mulher havia trazido sentido para sua vida vulgar. Isso lhe deu um pouco de paz. Daniela Bueno 

Nota mental e sentimental:  A noite esta insone e solitária com coldplay. O corpo cansado, mas a alma querendo mais de mim...Só um comentário: escrevi o texto acima para uma disciplina da pós-graduação do professor Marco antônio. Ainda não tinha vida em mim...Agora a vida insone se faz presente q muitas vezes penso q meu coracão não irá aguentar. Por isso, vivo pedindo um cardiologista. rs
Às vezes penso q não sinto a falta "dele", outras penso que meu  corpo e meu coraçao estão dilacerados de saudade.sempre fui confusa e ambigua com meus sentimentos, mas nunca tive medo de senti-los...alias sempre quis vivencia-los ao extremo...Mas, hoje não sei mais viver. :(
Sei que hoje em especial acordei querendo dizer sim ao seu corpo e a sua alma.
E com uma necessidade de  pintar sua alma. Captura-la numa tela. Nessas telas q eu pinto e que ninguém gosta, mas q são minhas. Tão minhas que chega a doer.   Na verdade, na tela, na arte, no ar, no sexo, na alma e no meu coração tudo é mais sublime, mas tb pode ser violento.  Na verdade, não há tinta que dê conta desta insensatez...mas quem se importa? Talvez seria sensato e maduro senão nos encontrassemos mais as sós. Talvez...Mas, quem se importa? O tempo urge e a vida se esvai. 
Preciso voltar a paixão, como o prometido...Mas, no fundo eu já tô retornando, aos pouquinhos...

TRILHA SONORA DO DIA: COLDPLAY - The Scientis
http://www.youtube.com/watch?v=tmjPrdTNxQ0

5 comentários:

Anônimo disse...

Daninha,

Vc é tão linda! Só tô com ciumes desse "ele". Queria estar no lugar dele.
O q tá fazendo em casa numa sexta?
boa pedida, pois coldplay é cool.
bjs Junior

Anônimo disse...

Oi Dani chérie, dando uma passeada no seu blog....suas histórias são nossas histórias de mulher que ama até a alma quase estourar. Bisou, Isa

WiLL disse...

Daniii
Eu parafrasearia sua amiga Isa e diria que suas histórias são nossas histórias de quem ama até a alma quase estourar.
Meninos também amam!
bjos

Girassol disse...

Que lindo que vcs estão gostando. Adoro compartilhar minha inspiração literária.
Adoro vcs!bjo

Girassol disse...

Meu coração sempre está ao ponto de estourar...rsss Vivo pedindo um cardiologista. rss