segunda-feira, maio 31, 2010

Confusões ou burrices??? rs

   Obra da Daniela Paula

   O fato é que não posso reclamar da semana que passou, pois tudo deu certo: as propostas, projetos e agenda profissional. Até tive tempo para curtir um cinema com o Will, conhecer o Dib( diretor de fotografia), Sérgio Ricardo( cineasta e música), mas o fato é que isso é pouco para sossegar minha alma. Algo esta me incomodando e me deixando assim, triste, solitária e com pensamentos perdidos... Afinal, são as tuas coisas que cada vez mais são objetos da minha história. E eu não consigo compreender isso.

   Talvez o problema seja meu coração todo colesterol, que ridiculariza todos os tratamentos cardíacos e que ri do cardiologista. Talvez, porque ele seja a casa da taquicardia quando te vê. E quer mais parar de bater por vc...Nunca entendi a fisiologia humana, muito menos do coração. Se o danado bate demais pode parar e se bate de menos? Eita! Confusão... 

    Contudo é daqui de dentro das minhas paredes que eu falo, arrumando meu quarto, lendo meus livros, olhando a replica de Van Gogh na parede(vinda de Paris), sentindo o cheiro das suas mãos, as quais quando tocam as minhas paralisam todo o resto do meu corpo. Queria entender de fisiologia de anatomia humana depois de você. Pois até a coisa mais exata parece poesia quando é por ti. Engraçado, você nunca veio ao meu quarto, mas sinto tua presença em todos os cantos dele, sinto a carga emocional que seria nossos corpos unidos aqui... na minha bagunça. Como diz o Will, to sempre tentando arrumar o quarto, sempre, mas tá tudo bagunçado ainda, coisas no chão, a escrivaninha cheia de livros, CDs jogados, a cama uma baderna: realmente uma alcova. Mas, uma alcova que talvez não lhe agradaria. Fujo de você. Esta é a conclusão mais sensata do dia. Fujo e isso me mata. Porque quando eu fujo de ti é a mim que estou castigando. Quando está próximo recuo. Talvez porque perto de você tenho medo do meu corpo parar de funcionar. Talvez, porque não respire direito perto dos seus olhos. Talvez eu tenha medo de você não amar meu mundo e não me enxergar. Tenho medo de você se assustar comigo. Medo do muro que nos separa. Medo da concretização erótica do amor. Medo do tédio. Por que você não me puxa pelos cabelos e diz logo tudo o que eu quero ouvir, por quê? 

   Esse desespero é o que me comove tanto em literatura e na vida, no fundo tudo que não se entende a gente a gente chama de subjetivo e transfere para literatura. Por isso, Dostoievski sempre afirmou que é na dor que mais produzimos e que para escrever é preciso sofrer...Entendo ele agora com mais clareza. Hoje mais que nunca me sinto uma mocinha de novela mexicana. Porém, tudo que é vivo e pulsa é ficção, é madrugada, é solidão, saudade e você. 

   Será que nas coisas todas da tua casa tem uma Daniela tão-ela, também? De alguma forma acho que tem... Com um pouco da serenidade que a ficção obriga pra conseguir ler mais e viver mais, porque sem sobriedade e coragem a vida me leva para a beira do abismo, você sabe. Mesmo que eu fechasse os olhos, com ou sem Bach, acabaria a beira do abismo. Mas eu luto, você sabe. Tenho lutado... Talvez, esse meu instinto te afaste de mim. Sei que é estranho te esperar aqui, dentro do meu quarto, das minhas coisas, da minha cabeça, que mais parece um labirinto. Espero-te de dentro do meu labirinto sem começo, sem fim, só labirinto Mas um mar de saudades... Incompreensível... 

Comentário dos meus olhos: Hoje você estava lindo, radiante.
Comentário linguistico: A palavra talvez é repetida propositalmente. Porque eu sou um TALVEZ bem grande.

TRILHA SONORA DO DIA:  Antes de iniciar o post pensei em colocar uma canção chamada "A vida tem dessas coisas" do Ritchie( cantor dos anos 80), que nos anos 90 foi gravada pelo IRA. Tudo a ver com minha situação atual. Vamos a um pedacinho:
"...Desde aquele dia eu nunca mais me entendi, você levou meu coração e levou o meu olhar eu sigo cega e infeliz querendo te encontrar...pra confessar que eu quero só você..."
Mas, decidi mudar a canção porque me declaro para ti, aqui neste blog, todos os instantes...O que falta mesmo é a coragem para o ato erótico. A coragem para o toque e para concretização do amor carnal. Portanto,  a trilha sonora escolhida do dia continua sendo do Ira, todavia,com muito erotismo. :)
"Te amo, isso eu posso te dizer: Como eu gosto de você...Te quero, isso é tudo q eu sei...Ah! Como eu gosto de você... é o amor como uma fonte a jorrar, pura emoção!...Seu beijo, minhas mão em seu quadril, madrugada tão febril, ah! Como eu gosto de você...Meu exilio é o teu corpo inteiro, és meu país estrangeiro...Me dê o dedo, eu quis o braço e muito mais...Agora estou afim de ficar  entre os teus rins..."
http://www.youtube.com/watch?v=vX4VvpTpiVw&feature=fvw

Observação final: Cante para mim essa canção "entre seus rins". E diga que esta afim de ficar entre meus rins todos os dias. Diga que eu sou seu país estrangeiro e todo seu exílio. Isso sim seria uma puta declaração de amor...Confusa do jeito que eu sou...do jeito que eu gosto. Talvez, só assim nos entenderiamos. :)

4 comentários:

WiLL disse...

Dani cinéfila, adoradora de arte:
Foi ótimo o cinema com vc. Sentar do seu lado, segurar sua mão. Vibrar nas cenas com as quais nos identificamos...
Foi ótimo quando vc me ligou ontem, desesperada, se chamando de burra.
Foi ótimo ler seu post, seu desabafo, pq vc sabe que eu vivo com vc essas paixões, assim como vc me acompanha nas minhas.
"Sei que é estranho te esperar aqui, dentro do meu quarto, das minhas coisas, da minha cabeça, que mais parece um labirinto. Espero-te de dentro do meu labirinto sem começo, sem fim, só labirinto Mas um mar de saudades... Incompreensível..."
Amor meu, seu labirinto não é tão incompreensível assim. Todos nós temos nossos labirintos, uns mais confusos, outros mais simples - embora a simplicidade seja tão menos interessante do q esse labirinto que dá trabalho, não é?!
Essa explosão de emoção q vc vive faz vc continuar sendo a Dani que eu conheci há 3 anos: uma mulher interessante - pq desperta interesse -, uma mulher inteligente - pq com vc eu falo sobre arte, política, trabalho, amor, família, dinheiro, falo mal de alguém (ops! rs), falo de mim, falo de vc.
É difícil eu dizer pra vc o q eu acho q vc deva fazer. Não posso fazer isso. Tem hora que digo pra vc seguir, tem hora q digo pra vc investir... É uma mistura de expectativas e perspectivas. Vai acontecer? Não saber...
Continue vivendo, pq eu tb não consigo viver sem tanta emoção.
bjos

WiLL disse...

Vc foi corajosa.
Ja é o segundo post seu em q vc é bem direta.
Sendo vc tao insegura, isso demonstra uma coragem, uma atitude.
No meio de tanto silêncio, é um grito.
No meio de tanta desordem, é uma tentativa de arrumar algo.

lela disse...

Colesterol que não abaixa... sobe nas alturas, explode, acha caminho pelas artérias, irriga meu cérebro, que só me faz mais pensar, repensar, virar de um lado, do outro. Abro os portões, solto meus cachorros que latem muito alto... sabem que pensar e querer doem...
Amo vc.

Anônimo disse...

Senhorita Daniela,

Vc está cadda ia mais bela. Te vi ontem. Linda! Sua expressão, seus gestos ao se comunicar são apaixonantes. Sua paixão pela vida.
Queria ser ele, confesso.
Seu texto é de uma sensibilidade gritante. Adoro isto aqui. E queria te dizer ou cantar a canção do Ira.