sábado, setembro 17, 2011

E-mails machistas e a nossa condição de mulher

Bem, hoje me irritei pela manhã devido a um e-mail machista que recebi (não quero reproduzi-lo, pois relê-lo seria sofrer muitas vezes). O tal e-mail ensinava como calcular o quanto uma mulher era rodada no sentido sexual. Achei aquilo uma afronta a minha condição de fêmea e de uma insensibilidade gritante.  Confesso: Senti vontade de vomitar, pois algo tão tosco assim faz mal a saúde. E o  que me mais choca é que deve haver  um monte de babacas ( homens e mulheres) que riem da piada imbecil.  Aff a maturidade tem me trazido pouca paciência. #fato


O mesmo texto dizia que mulher boa era mulher em casa, mas que o homem deveria dar o mesmo tratamento sexual que oferece “as outras” a sua mulher.  O fato é que este e-mail  me fez sentir  um nó de angustia fechando minha garganta porque quase não vejo saídas, visto que muitas mulheres se colocam nesta situação e até gostam. Se existe liberdade individual nos resta respeitar. Mas confesso que dói. Hoje ouvi de uma colega que como o marido ganha mais ela se submete aos seus desejos de mudança ou não. Eles vivem se mudando. Ela não tem trabalho e não é quase nada porque depende totalmente financeiramente dele. E isso me deprime porque ela não se deu conta de quanto mal ela faz a si mesma. Enfim... Por que os desejos dos  homens na sociedade patriarcal tem sempre mais prioridade aos das mulheres? Já sei... A sociedade é patriarcal. Aff 


Outra colega que esta com 60 anos, confessou-me, ontem,  que o marido não a procura quase nunca sexualmente. Que ela sabe das outras. O marido tem 60 anos, mas age como garotão. Até na questão da idade a natureza é injusta com a mulher. #fato Ela me diz que as noites que o espera são intermináveis e que nesta espera ela se consome de culpa e raiva. Culpa por não se considerar atraente e achar que o marido tem este direito das outras por isso. E raiva porque queria que ele não tivesse outras. Eu sempre digo: Não é sua culpa, você é linda e muito desejável. É o sistema machista. Ninguém o culpa por ele ter outra. E se fosse o contrário? Ela sorri e diz que eu tenho razão, mas que é assim. Ou seja, a mulher se coloca numa posição humilhante e devido a si despeja raiva em outras mulheres porque são mais jovens ou apetitosas sexualmente falando.  Esta amiga é privada pelo casamento social as alegrias do corpo, porque poderia ter um amante para matar sua fome de sexo. Por que, não? Mulher tem desejos sexuais na mesma proporção que o homem. Ela também é privada da satisfação de ser vaidosa. Porque se sente cansada para cuidar de si. E se sentir bela é importante para mulher. Faz parte do instinto da fêmea.  No fundo ela como outras mulheres vivem contra a si. 


Se a rotina mata o desejo porque as pessoas se casam? Seria este modelo de casamento antinatural? Na maioria das analises penso que sim. E isso não é uma visão pessimista. E sim lógica do relacionamento, o qual sempre termina no tédio. 




Outra colega apanhou tanto do ex-marido que agora não consegue ter relações eróticas e nem fraternas com outras pessoas. Ela estraga todas as relações por certa imperícia, ou medo. Não sei. Sei que ela sofre por isso e eu fico comovida e sem muito poder ajudar. Só tentando ser paciente e não me afastando dela por sua imperícia nas relações com os outros.


Nós mulheres não somos complicadas como ouço por ai. É que é difícil você lidar com conceitos que embutem na sua cabeça desde a infância sobre o comportamento feminino. Seja pela educação cristã, na escola na família. Tudo é muito sexista. Mulher é criada com brincadeiras toscas, uma maquete da vida da dona de casa. Homem é criado com liberdade e brincadeiras bacanas. Eu também entro em alguns conflitos morais por causa da minha educação, todavia luto para quebrá-los porque não sou diferente do homem por ser mulher. É triste ouvir até de mulheres coisas do tipo: Ah! Ele a largou porque ela só trabalhava. Ah! Ele a largou porque era vagabunda. Ele era bom marido, nunca deixou faltar nada em casa. Ah! Isso... Ah! Aquilo... Administrar isso é difícil e doloroso. Caso nós mulheres não nos unamos em prol a nossa causa, acho difícil o cenário mudar.  A culpa é da educação formal ou informal e religiosa, inclusive, das mães e professores que continuam a trabalhar nas crianças conceitos tão machistas. E que cada um arque com sua culpa...

Nota afirmativa: Também quero deixar registrado que ando sem paciência com esse tipo de e-mail preconceituoso/machista.  Não me divirto com a dor de ninguém. E nem quero essa perversão no meu mundo. Quem enviar-me coisas assim: automaticamente elas serão deletadas. Nas redes sociais o bloqueio  é serventia da casa. Não quero pessoas no meu meio de amigos ( virtuais ou reais) sexistas e que reafirmam alguns preconceitos contra a mulher.

3 comentários:

Anônimo disse...

Daninha da fita na cabeça,

Vc está certa. A educação machista ainda é dissiminada na escola e em casa. Tenho um sobrinho de 7 anos e a minha cunhada vive reafirmando comportamento machista dele. Vc iria se descabelar. (rs)
Vc é a vida mais genial e inteligente da minha vida real e virtual, sabia? Além de linda, doce e sensível.
Adoro e admiro muito você, Daninha.
Júnior
Ps: Tava me lembrando de vc cantando Maria Rita ( por causa da trilha sonora do dia). Vc deveria investir nisso. =)
" Não deixe o samba morrer, não deixe o samba acabar..." Vc canta muito bem essa música.

Telma Monteiro disse...

Oi, Girassol (ou: Daniela com um girassol...)

Acabei de compartilhar esse teu post no meu Face. Gostei mt (além de amar a Mafalda!).

WiLL disse...

Daniela, moça porreta!
ainda vivemos e creio que ainda viveremos nesse mundinho por algum tempo, porque a consciência doi e a maioria das pessoas não quer essa dor, já que tem um jogo de futebol na tv, novela e outras cositas... a realidade é triste, dura e injusta. mas pessoas como vc fazem a diferença nesse mundo recehado de preconceitos sexistas.
bjos