segunda-feira, agosto 01, 2011

Festival de machismo e a mordaça na boca para não sair quebrando tudo

Nota explicativa de abandono momentâneo: Explicações são coisas chatas de se oferecer a alguém... Não é o tipo de presente que gosto de ganhar, mas...voilá! Culturalmente somos condicionados a cobrá-las, portanto minha ausência deste blog se deve a dois fatores: excesso de trabalho e preguiça. Um complementa o outro... No momento em que poderia escrever, tenho vontade de dormir... rs #passada
Contudo, senti muita falta daqui e percebi que sem esse espaço fica um vazio no peito, o qual não pode ser preenchido sem as teclas que me libertam da mesmice do dia-a-dia. Ou seja, decidi que postarei mais freqüente e quiça todos os dias. E o mais importante: não ficarei tanto tempo longe de mim. =)
Ps: Estou digitando ajoelhada na cadeira. Uma forma de mostrar minha devoção. RS



Semana passada, vivenciei algumas situações no mínimo lamentáveis e constrangedoras. Citarei de maneira lacônica algumas máximas que fui obrigada a ouvir semana passada e tive que permanecer calada, porque em certos ambientes, calar a boca, é a melhor maneira para eu parecer uma pessoa sã. Que coisa imbecil que acabei de dizer... aff Mas o fato é q gosto de parecer “ normal” e com controle de tudo. Porque se eu perco o controle, perco a vida. Talvez por isso o vinho sempre...


Bem tudo começou na segunda-feira (25) na academia: Uma mãe conversando com um filho adolescente. Pasmem... Uma mãe (fêmea)! Dizia para o filho assim: -Ow, não quero filho mosca morta, se a mulherada dá bola, vai lá e soca. Eu quase vomitei, mas me segurei. Porque só de pensar em limpar meu vomito é motivo suficiente p conseguir controlar meu nojo. Eu estava pegando café... Ela olhou para mim e para minha sorte dirigiu a palavra a mim e disse:


- Esse mundo ta perdido. Essa mulherada tá  muito biscate. Eu a ignorei e ela percebeu que não gostei da “sua perola”. Mas, bater boca ali, não valeria à pena. Sai com aquilo engasgado. Como que uma mulher que educa um filho adolescente fala isso. Na verdade, eu queria perguntar para ela o que é ser biscate? E por que sempre é a mulher que tem que se comportar? Aff 


Depois ouvi de uma tia e de um colega de trabalho: Mulher que usa essas roupinhas curtas  ta pedindo para ser estuprada. Quase enfartei em dois momentos diferentes, mas o coração sobreviveu. Como é? Hum? Hein? Ou seja, a mulher é a violentada e é a vestimenta dela que é culpada? Hummm? Sei... Para mim estupro, crimes de violência sexual deveriam ser considerados hediondos. Lembrei-me uma vez de uma violência sexual que sofri do primo do meu melhor amigo... E só fui salva porque o meu melhor amigo estava lá e também me defendeu. Senão poderia estar até morta ( e isso não é exagero, porque eu não cedo fácil e não sou de ficar calada). É uma situação tão lamentável e dolorosa que não dá para descrever. Lembro que íamos numa cachoeira e havia só eu de mulher no grupo. Na volta o garoto disse, vamos abusar dessa menina e veio me molestar. Foi a pior coisa que ouvi em toda minha vida, mas sou corajosa e parti p cima do menino. Xingando e violenta. Lembro-me que chorava e xingava alto o menino de estuprador. E foi assim por muito tempo... Acho que no final ele acabou tendo medo de mim, porque hoje passa por mim e desvia. E é bom desviar mesmo, porque agora sou capoeirista. RS Agora,  eu fui a culpada porque desci numa cachoeira com um bando de moleques? Ou o cara que é um tipo de psicopata, que acha que pode abusar de uma garota de 18 anos (na época), só para mostrar seu poder? O trauma que carreguei me casou grandes estragos e quem repara? Se meu amigo não tivesse junto, o que seria de mim? Por que mulheres não têm o direito de se aventurar? E ainda levam a culpa?  Marcha das vadias nesse machos frustrados que usam a violência para mostrarem sua força. Porque quem é bom de cama não precisa violentar... sua masculinidade é natural. Tô criando uma teoria que esses estupradores estão tudo no armário. Marcha na vadias neles! Porque no meu corpo, EU MANDO. Porque meu corpo pertence a mim e eu faço dele o que quiser. Meu corpo não é da igreja, da sociedade, de marido e de ninguém... Porque ninguém tem o direito de violar direito de ninguém. 



Ainda na semana passado leio um festival de babaquices de homens ditos progressistas no twitter porque a cantora Sandy disse em alguma publicação que curtia sexo anal. O que chocou foram as ogrices que ouvi, de gente que eu considerava “ mente aberta”...Lamentável...é como se a mulher não tivesse direito a ter prazer: de gostar de sexo. Como se isso fosse um escândalo. Aff Tive vontade de vomitar novamente. Mas me segurei. 


Eu amo sexo anal, oral e de todas as formas possíveis... Amo. Acho sexo oral e anal formas de devoção e de entrega total... Gosto da ideia de me ajoelhar para alguém, como se fosse orar p ele e isso não tem a ver com sexismo. Gosto da decadência anal tão cantada pelo Gainsbourg. E viva o erotismo da música francesa! =)  Porque o amor carnal é uma forma de devoção e entrega. E se você se choca ou não gosta, vá procurar terapia. #FicaaDica  O fato de eu gostar de sexo anal, não quer dizer que eu faça com qualquer um. Faço com quem EU escolher, porque o corpo é MEU e de ninguém mais. E exijo respeito! Ou melhor, TENHO DIREITO A RESPEITO e a ter PRAZER! Somos tod@s homo sapiens! #FicaaDica 

PRAGA DO DIA: Que todo homem machista tenha uma FILHA! #AMEM




Tourne-toi
- Non
- Contre moi
- Non, pas comm'ça
- ...Et danse
La décadanse

Bouge tes reins
Lentement
devant les miens
- Reste là
Derrièr' moi
Balance
La décadanse

Que tes mains
Frôlent mes seins
Et mon cœur
Qui est le tien
- Mon amour
De toujours
Patience
La décadanse

Sous mes doigts
T'emmènera
Vers de lointains
Au-delà
- Des eaux troubles
Soudain troublent
Mes sens
La décadanse
M'a perdue
Ah tu me tues
Mon amour
Dis m'aimes-tu ?
- Je t'aimais
Déjà mais
Nuance
La décadanse
Plus encore
Que notre mort
Lie nos âmes
Et nos corps
- Dieux Pardo-
Nnez nos
Offenses
La décadanse
A bercé
Nos corps blasés
Et nos âmes égarées
- Dieux !
Pardonnez nos offenses
La décadanse
A bercé
Nos corps blasés
Et nos âmes égarées

6 comentários:

Lu disse...

adorei o seu artigo trava uma discussão do machista, eu confesso que discriminava as biscates mas aprendi através da concepção feminista que o papel social do homens na sociedade capitalista é comer as mulheres e depois descarta-las, mas estes pra casar gostam das menininhas de familia....por isso hoje valorizo as "biscates", por que elas gozam de prazer(orgasmo) e escolhem os homens que querem por que toda mulher tem o direito de fazer o que quiser com o seu o corpo!

Luciana Santos (UBM)
bju até....

Lu disse...

valeu dani

Girassol disse...

Lu,

O machismo tem raízes capitalistas mesmo, questão de controle e exploração do outro. O próprio formato da sociedade patriacal visa o controle do "mais forte".
Claro tb que existe as questões religiosas, pois senão tivessem inventado a Eva para cristo, talvez o sexismo não seria tão forte. Ela é culpada de tudo, por tentar o coitado do Adão e fuder todos nós...Imagine...temos que pagar esta divida pela ótica cristã ou não.
A luta é longa...Mas nós podemos sempre! bisus

Elias Praciano disse...

Somos 2: Também tenho vontade de vomitar quando vejo uma mãe ensinando o filho a ser um porco...
Pai de 2 adolescentes (menino e menina), não ensinei o meu garoto a ser machista (comedor). E, Também, não quero um porco machista pra minha filha.

Anônimo disse...

Você é muito corajosa, Daniela! Conheço poucas pessoas assim como vc. Depois deste post fica mais minha admiração por vc.

Tiago leal disse...

Adoro cada texto seu. Acho deliciosa a forma como vc escreve.

Sinto muito pelo seu tauma. Quem sabe a mãe do rapaz fez como aquela da academia. Assim criamos os mosntros e disseminamos o preconceito, falando ao pé do ouvido, no interior das casas, durante o sexo... Dizemos coisas que ofendem, magoam, humilham e fragilizam.

E vou fazer coro com vc e a Sandy. Eu gosto de sexo anal.